O que analisar antes de financiar um imóvel?

Financiamento bancário vem sendo uma alternativa muito utilizada nos dias de hoje, devido ao valor das parcelas que as taxas de juros estão proporcionando, estamos vivendo taxas históricas nesse 2020, então vale muito a pena procurar sua imobiliária de confiança, correspondente bancário da cidade ou até mesmo com seu gerente da conta do seu banco e solicitar uma simulação, pois assim você pode comparar qual a melhor parcela, taxa de juros e prazo. 

É por isso que eu vou te dar umas dicas valiosas sobre o assunto e ajudar a você a entender como funciona cada processo até a realização do seu sonho.

Se você quer comprar um imóvel financiado, saiba que é muito importante deixar um dinheiro reservado para o valor de entrada, pois pode mudar totalmente o cenário de compra, quanto mais entrada tiver, menor vai ser o valor da sua parcela. 

O valor de entrada e o valor de financiamento bancário, vai depender do seu perfil de relacionamento com o banco. O que vai influenciar nesses valores vão ser, primeiramente a sua idade, pois é calculado junto ao tempo de financiamento, e o mesmo não pode passar de 80 anos, A sua renda bruta comprovada, (sem contar os valores de férias e 13º salário), a qual se pode somar renda com seu companheiro(a) ou seu filho(a) e se existe um comprometimento de renda (por exemplo outro financiamento, empréstimo, carro financiado e o FIES), pois a renda é analisada da seguinte maneira: O Banco analisa a sua parcela mais ou menos no teto de 30% da sua renda bruta. E o mesmo é calculado todo o seu comprometimento ativo, Ex: se você ganha R$2.000,00 você pode ter uma parcela de no máximo R$600,00 (para calcular a renda basta pegar a calculadora e fazer sua renda bruta x 30% = valor máximo da parcela). Então o valor das parcelas vai levar em conta o valor de seus rendimentos.

O banco vai pedir de entrada o valor mínimo de 20% do valor do imóvel. Mas isso vai depender de cada negociação por exemplo nesse momento de pandemia que vivemos o Santander está liberando 90% financiado então entrada ficaria 10% do valor do imóvel então existem momentos que podem ter essa diferença.

Se você financiar direto com a construtora por exemplo, você pode ter um tipo de negociação diferente.

Você pode usar o seu Fundo de Garantia (FGTS), como parte da sua entrada. Mas existe algumas restrições para utilizar, são elas: precisa ter mais de 3 anos de carteira assinada, seja ela na sua empresa atual ou em todas as empresas que já trabalhou, você não poderá ter imóvel no nome, na área metropolitana onde desejar comprar e o imóvel que você adquirir com o uso do FGTS, precisa ser na cidade onde deseja residir ou trabalhar.

Mas uma coisa muito importante você tem que saber também, você precisa deixar um dinheiro reservado para as taxas e os documentos do financiamento (além da entrada), são elas:  Taxa de vistoria/ engenharia (onde o engenheiro avalia o imóvel para a sua garantia e garantia do Banco – cada banco tem o seu valor); taxa de contratação/ contrato ( momento da assinatura do contrato junto ao banco – cada banco tem o seu valor); custo de prefeitura ITBI ( esse valor de ITBI vai depender da prefeitura da cidade e também da linha de crédito do financiamento – por exemplo: MCMV o valor é de 0,5% sob o valor do imóvel – outras linhas de crédito o valor é de 1% do valor de financiamento + 1% do valor do FGTS (se tiver) + 2% do valor de entrada – e o mesmo pode ser calculado no site da prefeitura da cidade onde comprou o imóvel); E o registro dos contratos/ feito no Registro de Imóveis – sendo uma taxa para o governo FRJ – valor do próprio registro – Esse valor vai variar de acordo com o valor do seu imóvel.  

Então, você percebeu que para comprar um imóvel requer planejamento, cálculos e ajuda profissional de uma imobiliária pois existem muitas regras que podem lhe ajudar muito na hora da realização desse grande sonho e também você pode pedir uma pré-aprovação de financiamento (fornecendo todos os documentos necessários para a analise, são eles: RG e CPF; Comprovante de residência (validade: 60 dias); Comprovante de renda (sem férias e 13º salário); Certidão de estado civil atualizada; Declaração de Imposto de Renda; Carteira de Trabalho; Se utilizar FGTS, trazer o extrato atualizado detalhado do FGTS.

Se você precisa juntar um dinheiro para dar de entrada, a dica é poupar com estratégia.

Ficou alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários que iremos responder a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s